O desafio

Podemos ajudá-lo em seus esforços de prevenir as infecções da circulação sanguínea através da redução das principais causas da infecção.

87PC-infections

Praticamente todos os pacientes internados utilizam algum tipo de dispositivo de acesso vascular inserido para suportar seu tratamento e cerca de 87 por cento das infecções da circulação sanguínea estão associadas à presença de algum tipo de dispositivo intravascular.1 O CDC estima que anualmente, nos Estados Unidos, ocorram aproximadamente 250.000 incidentes de infecções da circulação sanguínea relacionadas com o cateter (CRBSI).2 Embora a mortalidade que possa ser atribuída aos CRBSI não seja clara, estas infecções têm sido associadas a maiores custos, taxas de mortalidade e dias de internamento hospitalar.2,3

A nossa solução

O projeto de seus conectores intravenosos (IV) sem agulha tem papel importante na sua capacidade de limitar as infecções da circulação sanguínea contraídas em hospital (HA-BSI).4

 

Cada um dos nossos produtos de Terapia de Infusão é cuidadosamente projetado para manter a segurança dos pacientes e dos profissionais de cuidados com a saúde pois fornece um sistema sem agulha mecânica e microbiologicamente fechado para as aplicações de acesso vascular. 

Reduce -bacteria

Os nossos conectores fechados sem agulha possuem tecnologia pioneira de septo dividido e via de fluído interno reta, o que reduz significativamente o ingresso e a colonização de bactérias. Além de garantirem segurança aprimorada do paciente através da inovadora tecnologia sem agulha, estes dispositivos também demonstraram proporcionar uma barreira microbiana eficaz contra a transferência de bactérias e a contaminação por elas.5,6

Em um estudo sobre transferência de bactérias e as propriedades de formação de biopelícula dos conectores sem agulha, o MicroClave da ICU Medical suplantou todos os conectores testados em termos de transferência de bactérias, formação de biopelícula e formação de bactérias na biopelícula, e comprovou ser uma barreira eficaz à transferência e colonização de bactérias.  No estudo, os investigadores realçaram a capacidade do MicroClave em oferecer aos médicos um nível aprimorado de proteção contra as bactérias transferidas de superfícies externas para a circulação sanguínea do paciente como sendo um benefício importante no combate de eliminação das infecções da circulação sanguínea relacionadas com o cateter (CRBSI).5

ConectorLog médio geral (CFU/enxágue)*Valorp
MicroClave 2,5 ≤0,0001
SmartSite 3,6 ≥0,0677
ClearLink 3,6 ≥0,0677
Invision-Plus 3,8 ≥0,0677
Maximus 4 ≥0,0677
Q-Syte 4,8 ≤0,0001
ConnectorDensidade Log do conectorDensidade Log do cuboDensidade Log do cateter
MicroClave 2,123 1,871 1,011
ClearLink 2,591 2,368 1,101
Maximus 3,432 2,398 1,980
SmartSite 2,878 2,629 1,386
InVision-Plus 3,306 3,046 1,391
Q-Syte 3,348 3,159 2,223

*Calculado como a média do quadrados mínimos

Adicionalmente, a formação de trombos está vinculada ao aumento do risco de infecções da circulação sanguínea relacionadas com o cateter em pacientes. A fibrina, os componentes sanguíneos e a biopelícula podem se juntar7 e criar um meio de cultura rico para o crescimento bacteriano, que demonstrou resultar diretamente na entrada de microrganismos na circulação sanguínea.8 O nosso dispositivo de patência de cateter Neutron é o primeiro e o único dispositivo autorizado pela FDA a reivindicar a capacidade de impedir todos os tipos de refluxo sanguíneo em cateter e a ajudar a prevenir trombose, um terreno fértil para a infecção.

 

Webinars e apresentações

WebinarThumb

Needle-free Connectors: Split Septum vs. Mechanical Valve…Can this classification model predict infection risk? 

By Marcia Ryder, PhD MS RN. APIC 2010 Satellite Symposium, Tuesday, July 13th, 2010. Running time: 1hr. 27min

WebinarThumb

Vascular Access...Connection Without Infection!

By Marcia Ryder, PhD MS RN, Research Coordinator at the Center for Medical Biofilm Research University of Southern California. Running time: 58min.

Referências

  1. Ryder, M. Catheter-related infections: It's all about biofilm. Topics Adv Pract Nurse Journal. 2005 [cited 2006 Sept 11]; 5(3). Available www.medscape.com/viewarticle/508109.
  2. Blot SI, Depuydt P, Annemans L, et al. Clinical and economic outcomes in critically ill patients with nosocomial catheter-related bloodstream infections. Clin Infect Dis 2005;41:1591-1598.
  3. Centers for Disease Control and Prevention. Reduction in central line-associated bloodstream infections among patients in intensive care units-Pennsylvania, April 2001-March 2005. MMWR Morb Mortal Wkly Rep 2005;54:1013-1016.
  4. Jarvis W, MD. Choosing the Best Design for Intravenous Needleless Connectors to Prevent Bloodstream Infections. Infection Control Today, August 2010 (http://www.infectioncontroltoday.com/articles/2010/07/ choosing-the-best-design-for-intravenous-needleless-connectors-to-prevent-bloodstream-infections.aspx.)
  5. Ryder M, James G, Pulchini E, Bickle L, Parker A. Differences in bacterial transfer and fluid path colonization through needlefree connector-catheter systems in vitro. Presented at the Infusion Nursing Society Meeting, May 2011.
  6. Moore C, RN, MBA, CIC. Maintained Low Rate of Catheter-Related Bloodstream Infections (CR-BSIs) After Discontinuation of a Luer Access Device (LAD) At an Academic Medical Center. Poster presented at the annual Association for Professionals in Infection Control and Epidemiology (APIC) Conference 2010, Abstract 4-028.
  7. Gorski, Lisa A MS, RN, CS, CRNI. Central Venous Access Device Occlusions: Part 1: Thrombotic causes and treatment. Home Healthcare Nurse. 21:2;115-121, February 2003.
  8. Ryder M. The role of biofilm in vascular catheter-related infections. N Dev Vasc Dis. 2001;2:15-25.